Resumão

Mudei. Fiquei mais chato. Deixei pra trás metade da minha vida. Saí de todas as bandas em que estava. Larguei (academicamente) a história. Não passei na seleção do mestrado na UFMA, cheguei até a etapa final, mas fui um desastre na entrevista. Fui bem no Enem e entrei para Engenharia Civil no IFMA, estou cursando e gostando que só. Até agora tudo é cálculo, nada impossível de aprender, mas pra mim, que saiu do ensino médio há 12 anos e passou 10 desses enfiado em humanas até o pescoço, não tá sendo moleza. Tô prestes a mudar de endereço novamente, vou pra uma casa maior (com financiamento também maior – vida de adulto, amigo!). Passei no concurso do Banco do Brasil, não tenho vontade nenhuma em trabalhar com atendimento, mas esse pode ser o primeiro passo pra começar a trabalhar com o que eu realmente quero: engenharia financeira e investimentos. Tenho dado menos atenção a coisas que dava muita atenção – vou te falar que isso me deixou levinho levinho. De outra forma, fiquei mais comprometido com coisas que antes eu achava só besteira – fiquei mais sério em certo ponto. Para alguns amigos, hoje pareço tonto; para outros, virei pro caminho certo. “Onde tu quer chegar com isso?”, foi o que perguntou o grandíssimo Denis Carlos, de boa, tentando entender o que diabos eu tô querendo. Não tô apto a respondê-lo exatamente agora, mas já já eu darei essa resposta. Hoje, só sei o que não quero mais, e tô fazendo uma força danada pra me afastar de tudo isso. Em resumo: mudei.